The Colour Run . Matosinhos . 7 de Abril

O que é o The Color Run®?

O The Color Run® é uma grande festa de alegria e diversao. Os 5 kms, a primeira parte do festival podem ser feitos a correr, a caminhar ou a rastejar e é uma experiência ímpar que se concentra menos na velocidade e muito mais num momento colorido de diversão entre amigos e família. Os participantes são de todas as idades, formas e feitios, e todos eles são “brindados” com uma Tatoo logo na saída.
Quer se trate de um participante ocasional ou de um verdadeiro atleta, estes cinco quilómetros The Color Run® constituem uma experiencia incomparável, em que não só a cor, mas também o riso, a alegria e o convívio são comuns a cada um dos participantes.

Como funciona?

Este evento tem duas regras muito simples: o uso obrigatório de uma t-shirt branca no início da prova e pintura total no final! Os participantes partem para os 5 quilómetros como um imaculado livro branco. No fim, ficam como se tivessem caído no caldeirão das cores do arco-íris! E se por acaso não chegarem o suficientemente coloridos, no final terão uma festa inesquecível de COR.

O que é a COR?

Cada quilómetro do percurso é associado a uma cor: amarelo, laranja, cor de rosa e azul. À medida que os participantes completam os sucessivos quilómetros, entram nas Zonas de Cor — as Color Zones — onde são pulverizados de cor por voluntários, patrocinadores e colaboradores do evento. O maior banho de COR — o Color Blast — é reservado para o final, e logo depois os participantes são convidados a comparar pinturas e a permanecer em animado convívio, com comida, muita cor e grande animação!
Todos os produtos utilizados ao longo do percurso são 100% naturais e seguros –a tinta em pó atirada aos participantes é constituída, essencialmente, por amido de milho, não representando qualquer perigo e sendo facilmente lavável após o final.

E o que acontece no final?

Podemos seguramente garantir que o nosso final é o melhor pós-5 quilómetros do planeta. No final da corrida, os participantes são convidados a ficar na festa e a testarem os limites máximos da COR nos seus amigos.

Source:
http://thecolorrun.pt/show.php?id=1
Anúncios

JOAKIM DJ | OPTIMUS CLUBBING

5 ABRIL | OPTIMUS CLUBBING | CASA DA MÚSICA

 

Não é fácil definir o estilo de Joakim, que é hoje uma das figuras de topo da música electrónica francesa. O seu percurso ligado à música clássica, ao indie rock e à música electrónica de meados dos anos 90 contribui aparentemente para uma personalidade artística original. Atraiu as atenções em 2007 com o álbum Monsters and Silly Songs (2007), juntando pós-punk, disco e electrónica, e assinou remisturas de artistas como Goldfrapp, Friendly Fires, DJ Mehdi, Cut Copy, Tiga, Fisherspooner, Late of Pier, Max Berlin e Zombie Zombie.
No ano passado surgiu Nothing Gold, título retirado de um poema de Robert Frost citado em The Outsiders de S.E. Hinton.

Aí, segundo Joakim, “cada canção é sobre alguém que eu não quero ser, ou tornar-me, ou sobre comportamentos extremos e hábitos desviantes”; “uma exploração das faces obscuras do ser humano, uma forma de exorcizar demónios tornando-me um deles dentro de uma canção”.

Source : Casa da Música

Exposição EVASION de Pedro Batista

EXPOSIÇÃO EVASION  DE PEDRO BATISTA
29 DE MAR A 6 ABR
ESPAÇO IVENS 42 | CHIADO | LISBOA

A série Evasion, do pintor Pedro Batista, é o épitome da palavra mudança. Com uma fusão marcada entre a figura e o fundo, os seus quadros convivem nesta coesão entre os limites do mundo e as linhas que desenham cada personagem. Segundo o artista “não há um conceito base presente no meu trabalho até porque não acredito na obrigatoriedade de se saber o significado de uma obra para se lhe reconhecer valor.” 

Esta série vive da permanente sugestão de devir, da ideia de movimento e de uma permanente necessidade de evasão com figuras que, isoladamente, reflectem a solidão e o desapego. Contudo, e apesar de uma melancolia que se intui, a série Evasion não cai em padrões de tristeza pura. Antes, vive de um subtexto interno que nos liga a todos como seres humanos: a ligação emocional que temos com tudo o que nos rodeia.

E é esta palavra, mudança, que está presente em todos os trabalho de Pedro Batista, nesta série Evasion. A sua pintura conta a sua própria história no sentido em que esta reflecte um movimento interior e aprendizagem emocional. Muito envolvido com o processo criativo, Pedro Batista escolhe imagens aleatórias através de vídeos musicais, anúncios, livros e revistas, na sua maioria contemporâneos, numa reinterpretação da cultura pop combinada com o traço a estética escolhidos nesta série.

BIO

Pedro Batista teve o seu primeiro contacto com arte através de amigos. O graffiti aparecia timidamente em Portugal, no início dos anos 90, quando Pedro se deu conta desta importante vertente da cultura urbana, cujo gosto alimentou com uma adolescência passada em cima do skate.

Mais tarde, escolheu estudar Design de Comunicação, em Lisboa, de onde saíu para uma residência em artes plásticas na School of Visual Arts, em Nova York, em 2009. Um ano depois, embarca numa incursão a Berlim, onde esteve também em residência durante 5 meses.

Já conta com exposições colectivas em Lisboa, Açores, Atenas, Nova York e Berlim. Neste momento, Pedro Batista vive e trabalha em Lisboa.

CULTURA E PENSAMENTO CONTEMPORÂNEO, Com Gonçalo M. Tavares e Luis Maria Baptista

30 Mar – 01 Abr
SERRALVES
3 sessões intensivas (Sex, Sáb. e Dom.)
SEXTA: 18h00-21h00
SÁBADO E DOMINGO: 09h30-13h30 e 15h00-19h00

 

Neste curso serão abordados alguns temas centrais do pensamento contemporâneo, tendo a literatura, a filosofia e as artes como pontos de passagem.

Estado/ Individuo e saúde – Textos de Fernando Savater, Ramón Gomez de la Serna, entre outros.
A irracionalidade e a pequena razão, A lógica e o desejo – Textos de Baudelaire, Nietzsche, Séneca, Fernando Pessoa, Clarice Lispector.
Corpo e tecnologia versus corpo e natureza – O exemplo de Stelarc: o 3º braço.
Discurso, linguagem; Relação palavras/coisas; Abstracto/concreto; Linguagem privada; Wittgenstein – Textos de Oliver Sacks, Lewis Carroll, Jorge Luís Borges.
As artes do corpo – Textos Eugénio Barba (presença, ausência), Artaud (musculatura afectiva), Henri Michaux,.
Imagens – Espaço, corpo e Imagem.
As relações entre corpo e poder; Poder, conhecimento e corpo. O vigiar e punir – Textos de Foucault, Henri Michaux, e imagens de Marina Abramovic.
O desejo e a multiplicação da identidade – Textos de Roland Barthes, Oliver Sacks, Wittgenstein.
Utopias -Alguns textos de poetas chineses. O palácio de projectos utópicos de Kabakov.

Gonçalo M. Tavares

Escritor português, nasceu em 1970. Estão em curso traduções com edição em quarenta e quatro países.
Em Portugal recebeu os principais prémios literários para obras de ficção.
Recebeu também inúmeros prémios Internacionais, como Prémio Portugal Telecom 2007 (Brasil). Prémio Internazionale Trieste 2008 (Itália).
Prémio Belgrado Poesia 2009 (Sérvia). Prix du Meilleur Livre Étranger 2010 (França) com “Aprender a Rezar na Era da Técnica”

Luis Maria Baptista
Arquitecto e artista, membro do grupo Espacialistas

O SABOR DO CINEMA – MOMENTO XXI

25 MAR | 16h00 ÀS 19h00  | AUDITÓRIO DE SERRALVES
Entrada Gratuita mediante levantamento de bilhete na recepção de Serralves.

 

O Sabor do Cinema é um ciclo projeções – conversa organizado pelos “Filhos de Lumière”, que propõe o visionamento e a discussão de filmes de todos os géneros, origens, épocas e durações. Para que esses mesmos filmes continuem a produzir pensamento(s) fora dos trilhos do mercado audiovisual.

O Dia do Pão
Sergei Dvortsvoy, 55’, 1999, Cazaquistão
O árduo acesso ao pão de cada dia.

V Temnote (In the dark)
Sergei Dvortsvoy, 41’, 2004, Cazaquistão
Um homem que fabrica sacos de compras confronta-se com as alterações de hábitos de consumo (e correlativa mudança de visão do mundo) no Moscovo pós-queda do muro.

Esta actividade pertence ao ciclo O SABOR DO CINEMA – MOMENTO XXI.
 Source: Serralves

20 | VINTE | XX

24 MAR | 22H00 | GUIMARÃES 2012
INSTITUTO DE DESIGN DE GUIMARÃES (ANTIGA FÁBRICA DE CURTUMES DA RAMADA)

 

20 VINTE XX é a primeira iniciativa das G Sessions.

G Sessions é o nome de código para o que gostaríamos de chamar sessões de Guimarães: música eletrónica, música de dança, produtores e deejays da região convidam músicos de todo o lado para se mostrarem nos clubes da cidade.

A ideia de juntar no mesmo espaço, e no mesmo dia, os agentes de difusão cultural de todo o país surgiu instintivamente da observação do circuito independente e da efervescência que o mesmo vive de há uns anos para cá. Assim, a Lovers & Lollypops e a Revolve, em colaboração com o atelier Bolos Quentes e o dj e entusiasta Pedro Santos, apresenta um evento singular, uma noite que conta com a presença de vinte bandas, de vinte djs e vinte designers.

Um momento de cruzamento de várias sonoridades, opiniões e linguagens. Uma noite de diferentes vozes e reflexão. Uma noite de criação espontânea.

Objetivamente, as bandas apresentar-se-ão em 15/20 minutos, os djs escolherão três músicas e os designers traduzirão no papel a infinidade de afirmações daí resultante. Daqui resultará, certamente, um convite em forma de desafio, para que o público se envolva crítica e ativamente numa construção coletiva de significados.

BANDAS
Memória de Peixe
The Sticks & Stones & The Broken Bones
ALTO!
Mi(o)lo
Amazonas
Black Bombaim
SALTO
Evols
Swinging Rabbits
Fat Freddy
The Glockenwise
Cangarra
CRISIS
Mr Miyagi
Bulota
Panties and Dingos
Equations
The Shine
New Kind of Mambo
Da Chick (match attack)

DJ’S
Carlos Milhazes
Centeno
Cova
DJ Lynce
DJ Sr. Guimarães
Ghuna X
Hang_The_DJ
Hugo Alfredo
Ina
JAM
Uma Naper
Luis Machado
Mister Teaser
Rita Garizo
Rodrigo Affreixo
Sónia Carvalho
Spark
Supa
Tiago
Vicente

CARTAZISTAS
Adhocracia
Alva
And Atelier
Bráulio Amado
B&R
Carla Filipe
Diogo Tudela
Hey Cecilia!
Inês Nepomuceno
José Peneda
Luis Dourado
Martino&Jaña
OOF
Pedro Lobo
Rudolfo
Sérgio Alves
Silvadesigners
Studio Andrew Howard
This is Pacifica
V-A

LOCALIZAÇÃO
http://www.vintevintevinte.com/?page_id=1634
Google Maps: http://g.co/maps/72yvf

Mais info:
http://vintevintevinte.com/
geral@vintevintevinte.com

Source: Guimarães 2012 e vinte XX 20

GRIGORY SOKOLOV

GRIGORY SOKOLOV
18 MARÇO | CASA DA MÚSICA

Grigory Sokolov nasceu em 1950 e ganhou a Medalha de Ouro e 1º Prémio de Piano no Concurso Internacional Tchaikovski com apenas 16 anos, feito nunca mais alcançado por alguém tão novo. Dois anos depois, celebrava os seus 18 anos no Porto, onde deu dois recitais consecutivos no Teatro Rivoli. A sua relação com a cidade reatou desde a abertura da Casa da Música e todos os seus recitais esgotaram a Sala Suggia, ficando célebres pela excelência artística, pelos programas criteriosamente escolhidos e pelas mágicas sessões de encores.

J.P. Rameau: Suite em Ré
W.A. Mozart: Sonata em Lá menor KV 310
Johannes Brahms: Variações sobre um tema de Händel op.24
Johannes Brahms: Três intermezzos op.117 

< CICLO PIANO EDP >

Source: Casa da Música

Mónica Ferraz apresenta “Start Stop”

28 MAR |22H00 | CASA DA MÚSICA

 

É verdadeiramente fantástico quando nos põem nas mãos um disco com músicas de contágio automático, dos tais que nos conquistam à primeira. E porque, afinal, está lá tudo no sítio! Estrutura conseguida para a mente, o corpo e a alma. E é bem verdade que se torna ainda mais excitante quando se trata de um trabalho de alguém cujo crescimento fomos acompanhado de perto.
É também uma sensação de orgulho seja pela proximidade, amizade, bairrismo ou patriotismo. Sim, aquilo que venho dizendo há uns bons anos está, mais uma vez, muito bem fundamentado neste primeiro trabalho de Mónica. É outra certeza de que temos por cá valores seguros na pop, no rock e por aí fora…
Acreditem que não é por magia, nem por acaso que o disco que vai chegar também às vossas mãos causará efeitos e sensações semelhantes aos meus. É, claro está, resultado da entrega, da partilha constante e da necessidade de uma evolução bem sustentada com perfeita noção do tempo e do espaço. Estamos aqui perante um natural elevar da fasquia, mas com os pés bem assentes num processo de crescimento tranquilo e previsível. Vai Mónica vai!

Source: Casa da Música

DIZ-LHES QUE NÃO FALAREI NEM QUE ME MATEM

15  A 17 MAR | 22H00
CAAA . CENTRO PARA OS ASSUNTOS DA ARTE E ARQUITECTURA

 

Antes de ser o Portugal dos cravos, era o Portugal do silêncio, do medo, da escuridão, da luz estreita que rompia por entre as grades daqueles que “nada tinham a perder senão as suas cadeias, mas que tinham um mundo a ganhar”.

Diz-lhes que não falarei nem que me matem é um testemunho autêntico do que é viver privado da liberdade, pela luta de um ideal. Como se foge à loucura? Como se sente saudades? Como se ama? Como se acredita? Como se sonha com o dia que acabou mesmo por chegar.

Source: Guimarães 2012

OPTIMUS CLUBBING | ALOE BLACC

24 ABR | 23H00
CASA DA MÚSICA

 

O segundo álbum a solo do norte-americano Aloe Blacc conquistou definitivamente o público com grandes canções como “I Need a Dollar” ou “Loving You Is Killing Me”. Um manifesto dos tempos modernos com apurada consciência social, Good Things é também uma celebração das sonoridades Soul e R&B. Vozes como Marvin Gaye e Curtis Mayfield vêm à memória, embora Blacc assimile a tradição deixando a sua marca de originalidade.
Nesta noite podemos ouvir a música de Aloe Blacc num contexto completamente diferente, sem bateria, loops ou electricidade. Apenas a voz e um quinteto de cordas, liderado pelo violinista e compositor Miki. Depois do enorme sucesso do seu projecto “Hip-hop sinfónico” apresentado na Casa da Música em 2009, Miki introduz agora as influências clássicas nas melodias carregadas de soul de Blacc.

Suggia
Aloe Blacc
Funkalicious

Restaurante
DJ Marcos Tavares
Jazzanova DJ set

Bares 1 e 2
DJ António Coutinho

Source: Casa da Música